Artígos

FUNDAMENTOS DA IGREJA PRIMITIVA DE CRISTO

 

Por revelação foi-me imposto escrever acerca da Igreja de Jesus Cristo.Para podermos compreender melhor, nos é necessário buscar as palavras ditas pelo senhor Jesus aos seus discípulos, logo após a sua ressurreição.

Quando o Mestre ressuscitou e deixou um anjo dentro do sepulcro esperando suas discípulas que, pensando que seu corpo ainda jazia inerte no mesmo, foram por Fé ungir o seu corpo, posto que, a pedra que estava posta na entrada do sepulcro era grande e muito pesada, e por isso  elas perguntavam umas as outras: Quem nos removerá a Pedra que está à porta do sepulcro? Mas confiantes em que o milagre poderia acontecer, não buscaram ajuda e nem retornaram achando que seria impossível que conseguissem remover a pedra.

Muitas vezes, o Senhor nos faz saber de cumprir uma tarefa espiritual, mas quando percebemos os obstáculos, desistimos.

Não é isto o que o senhor Jesus deseja de nós. Devemos agir como as discípulas, caminhando sempre em direção á promessa de Deus por Fé. Vemos que o milagre já havia acontecido, mas as servas do senhor não tinham conhecimento. Ao chegarem, se depararam com o primeiro milagre: A pedra que preocupava tanto as mesmas, o anjo do Senhor havia retirado da porta do sepulcro. Ficaram possuídas de alegria e ao mesmo tempo pensando o que seria aquela maravilha. Temerosas adentraram no sepulcro e contemplaram o segundo milagre: Encontraram um anjo do Senhor Deus que esperava por elas para lhes anunciar outro milagre: Que o Senhor Jesus a quem elas buscavam, não estava mais ali, havia ressuscitado e ia adiante delas e dos discípulos para a Galiléia, como ELE havia prometido. Mandou avisar também a Pedro que, com certeza, mediante ter negado o Mestre, ficou envergonhado e evitou estar junto dos demais.

Não devemos nos envergonhar das nossas falhas cometidas por nosso impulso, pois não existe quem não falhe diante do Senhor.

Então, vimos que em uma só manhã de um dia, que para elas seria de dificuldades, Deus transformou-o no mais lindo e maravilhoso dia através dos milagres relatados.

Assim também o Senhor fará sempre na vida daqueles que acreditam nas suas promessas e por fé, caminham para frente, sabendo que o milagre acontecerá.

Correram alegres, porém, assustadas com tantas maravilhas, ao encontro dos discípulos que estavam trancados e com medo, além de estarem tristes e chorando, para lhes anunciar tudo quanto o anjo havia lhes falado. Quando informaram aos mesmos tudo o que haviam contemplado, eles não creram.

Podemos imaginar a decepção das servas de Deus - "que segundo alguns pregam: os discípulos (homens) foram os pilares da continuidade do Evangelho de Jesus Cristo"- ao perceberem que os mesmos não creram nelas.

Enquanto isso Cristo se manifestou a dois discípulos que iam a caminho de Emaús, e que também retornaram para avisá-los da aparição do senhor Jesus, mas mesmo assim, não creram.

Vemos que não é privilégio somente de nós, a falta de crença em alguns momentos de nossa vida!

Até que, o próprio senhor Jesus apareceu para os onze, e, lançou-lhes em rosto a sua incredulidade e dureza de coração.

É importante que quando Deus nos revelar alguma coisa, seja através de forma subjetiva (sonho) ou objetiva (visão) e tivermos que anunciar para alguém e o mesmo não crer, não devemos ficar abatidos e nem tristes, pois no momento certo, conforme aconteceu com os discípulos, o Senhor manifestará a verdade através da sua presença e palavra.

Após o Senhor Jesus os ter repreendido e ao mesmo tempo provado para os seus discípulos a sua ressurreição, disse-lhes:

Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura; quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais seguirão aos que crerem: em meu Nome, expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão.

A seguir, após lhes ter falado, foi recebido no céu e assentou-se à direita de Deus.

Podemos aprender muito sobre o que está escrito acima, posto que, O Senhor Jesus ao enviar os seus discípulos a pregar o evangelho, ao dizer que deveriam pregar por todo o mundo, sabendo que os mesmos não seriam capazes de fazê-lo em virtude das distâncias e meios de transporte na época, estava deixando claro que pela pregação deles, muitos outros discípulos seriam convertidos e preparados e que para cumprimento da plenitude de seu mandamento, através dos anos e séculos, o Santo Evangelho de Jesus cristo ultrapassaria todas as barreiras do tempo e sempre anunciados por homens escolhidos por ELE, que manifestariam ao mundo, como hoje é manifesto, o Evangelho da Salvação em Cristo Jesus. Aprendemos também, que, conforme o Senhor disse: Aquele que crer e for batizado será salvo. ELE não se preocupou em saber qual seria a condição social, se era casado, negro, branco ou amarelo. A condição fundamental imposta por Jesus Cristo é CRER E SER BATIZADO! Porém, os homens buscaram alternativas e tentaram colocar limites para a salvação. Através de hábitos, costumes e leis de cada país. Mas ninguém deve limitar o direito de qualquer alma buscar a sua salvação. Pois quem rege a vida do Cristão após o santo batismo é o senhor pelo espírito santo. Conforme promessa feita aos discípulos antes da sua partida, dizendo:

NÃO VOS AUSENTEIS DE JERUSALÉM ATÉ QUE DO ALTO SEJAIS REVESTIDOS DO ESPÍRITO SANTO! ELE NÃO FALA DO QUE É SEU, MAS DO QUE RECEBE DO PAI E DE MIM, PARA VOS GUIAR EM TODA VERDADE.

O Senhor não disse em algumas verdades, mas em toda verdade.

Percebemos ao ler as Santas Escrituras, que sempre em que o Espírito santo do senhor teve livre curso no meio da igreja, às maravilhas aconteceram, os milagres surgiram e a Obra de Deus, por Jesus Cristo, floresceu e cresceu na terra.

Quem foi que após o eunuco ser batizado por Filipe, por sinal, uma Obra maravilhosa, Realizada através de revelação e transladação, foi ensinar para ele como deveria se portar como cristão? Ninguém! Visto que, conforme está escrito, ele seguiu jubiloso o seu caminho para a Etiópia. Tenho a fiel certeza que, o Senhor, segundo a sua grande misericórdia e amor, da mesma maneira que revelou para Filipe que fosse ao seu encontro e pregasse a sua graça para ele, também enviou o seu Espírito santo para guiá-lo em toda verdade. Da mesma forma fez com o Apóstolo Paulo que, após a sua conversão, ficou durante três anos, aprendendo isolado na Arábia com o Senhor Jesus pelo espírito Santo.

Não podemos de forma alguma limitar o poder do Espírito santo!

Todos os grupos que se tornaram igreja e a seguir, instituição, aos poucos foram se transformando e transformaram o que de belo existia entre eles: que era a graça (favor imerecido) de Deus em preceitos e conceitos humanos, e  assim, o Senhor se retirou do meio de todos. Sem abandonar os que perseveraram na sua graça.


Não se pode confundir doutrina com usos e costumes. Doutrina é quando se prega tudo o que o Senhor Jesus pregou. Usos e costumes são usados em cada país, região e vilarejo conforme aprenderam e fazem parte da cultura de cada povo.


Onde habita o espírito do Senhor, há liberdade!

Não estou querendo dizer com isso, que, não existe limite para os cristãos, mas sim, que quem determina a conduta dos mesmos é o Espírito Santo. Quanto mais o Senhor Jesus for crescendo dentro de nós, nos tornaremos pessoas melhores, amáveis, cordatas, alegres e felizes, pois quem faz a diferença entre uma carne e outra é o senhor Jesus. ELE é o diferencial na vida do ser humano. Muitos podem dizer: Então não se precisa de Pastores, Anciães, Presbíteros e bispos para ensinarem o povo a Palavra de Deus? Claro que não é isso o que estou escrevendo!

O Senhor sempre usou de homens sinceros e dedicados à sua Obra e não ao seu bolso, para instruir o povo, que representa a sua igreja

"A noiva do cordeiro".  

Quando digo instruir, é ensinar o caminho da verdade pela revelação do espírito Santo e não controlar a vida de cada membro. Como se a esposa (igreja) fosse sua e não de cristo.

Entendemos que para que a igreja seja sadia é necessário que a mesma esteja totalmente debaixo do controle de Deus, por Jesus Cristo e pelo Espírito Santo. Que os homens que forem escolhidos pelo Senhor para estar à frente da sua Igreja, seja cheio do amor, da pureza, da simplicidade, da paz, da honestidade, da sinceridade, da humildade, da piedade, e, principalmente, cheio do Espírito Santo. Deverá pregar a palavra de Deus pelo Espírito e não por seu conhecimento literário ou teológico.

Estes servem para o nosso conhecimento pessoal e a nossa vida profissional.

A partir do momento em que a Palavra revelada pelo Espírito Santo, saiu da boca do ungido ou ungida de Deus, eles não precisam se preocupar com mais nada, absolutamente nada, pois a palavra que é proferida por Deus através do seu espírito, jamais voltou ou voltará vazia para ELE. Depois de cumprida, ela se apresenta junto Aquele que a proferiu e diz: A TUA PALAVRA FOI CUMPRIDA CONFORME DETERMINASTES.

Glória a Deus!

Existem alguns princípios em que precisa ser fundamentada a estrutura da igreja de Deus!

Podemos citar alguns princípios básicos para que a igreja de Deus cresça saudável e firmada na rocha que é cristo Jesus, nosso Senhor:

Conforme está escrito, a Fé vem pelo o ouvir, e o ouvir a Palavra de Deus. Logo, nos é necessário que a Palavra seja ministrada como disse acima, pelo espírito Santo, que nos servirá de ensino. E, através dela, a igreja será edificada. Desta forma, os fiéis não darão mal testemunho diante dos estranhos a fé.

O verdadeiro homem de Deus tem autocontrole, não se deixa levar pelo excesso de alegria e muito menos pela histeria. Pois de acordo com a Palavra de Deus, tudo e todos que lhe pertencem estão debaixo da ordem e decência.

Se a igreja de Deus não compreender a sua vontade expressada pela sua Palavra, não haverá bênção; a compreensão da palavra de Deus deverá anteceder a bênção. 

Poderemos pesquisar e veremos que a INFORMALIDADE sempre esteve presente na igreja primitiva, mas devemos evitar o fanatismo, pois o mesmo nos leva aos  extremos. A FORMALIDADE só pode existir no sentido de regularizar junto ao Estado à sua existência. Mas jamais em relação à vida espiritual da igreja. Quando isto acontece, o Pai, o Filho e o Espírito Santo, se retiram e a glória do Céu desaparece. 

Porém, para estarmos firmados na Fé em Jesus Cristo, nos é necessário o conhecimento definitivo acerca do que realmente fundamenta a nossa Fé, pois a mesma não pode ser confundida com fanatismo ou ignorância, no sentindo de total desconhecimento do que representa a Fé, baseada no que acreditamos como verdade absoluta. Muitos pensam que ter Fé é um ato de pensamento positivo, de um desejo forte de conseguir alguma coisa, mas na verdade, como a Fé está definida de forma clara na Epístola aos hebreus, capítulo 11, através do seguinte texto: Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem. Logo, para possuirmos a fé  verdadeira, precisamos crer de forma concreta que Deus enviou seu filho, conforme escrito no Evangelho de João, O Verbo divino que se fez carne, ou seja, através da força e plenitude da sua palavra, Deus pelo seu Espírito Santo, fertilizou Maria, uma adolescente, mas santa do Senhor, terra fértil, para receber a santa semente de Deus. 

 É importante salientar que Jesus Cristo é da ordem de Melquisedeque, conforme está escrito na mesma Epístola Aos Hebreus. O QUE SIGNIFICA ISSO? Significa que sendo o Cristo da ordem de Melquisedeque, ELE é da linhagem sacerdotal, porém, celestial. Portanto, divina. Maria, por sua vez, era da linhagem de Abraão, ou seja, a quem Deus fez a promessa que de seus lombos nasceria aquele que faria bendita todas as famílias na terra. As promessas de Deus são fiéis e verdadeiras. Pode passar centenas e mais centenas de anos, mas o Senhor cumprirá sempre a sua Palavra.

Já conhecedores das formas que Deus usou para enviar seu filho Jesus Cristo a este mundo, poderemos seguir adiante descrevendo o encontro da Ordem Celestial com a Ordem terrena.

Conforme está escrito, Após o anjo Gabriel conversar com Maria de maneira objetiva (visão) e lhe anunciar que mesmo sendo virgem, o Senhor Deus criador e formador de todas as coisas, a envolveria pelo Espírito Santo, e, então, conceberia um filho, o qual se chamaria Jesus. Mesmo ainda sem entender o que estava acontecendo, visto que, sendo muito jovem, ainda não entendia o significado do que estava para acontecer, mas disse algo que todos os servos e servas de Deus devem dizer: Cumpra-se em mim a vontade de Deus! E, assim, aconteceu. Maria foi envolvida pelo Espírito Santo, e, através da virtude de Deus concebeu. Neste momento, foram cumpridas todas as promessas do Senhor feitas aos seus servos do passado, principalmente a um homem chamado Abraão! O CÉU E A TERRA SE UNIRAM PARA TRAZEREM AO MUNDO POR DECRETO DE DEUS, A SALVAÇÃO E VIDA ETERNA.

GLÓRIA A DEUS!

Alegria no Céu e na terra na fecundação e também no nascimento do nosso Salvador Senhor Jesus Cristo. Por isso, ELE foi verdadeiro homem e verdadeiro Deus. Pois possuía as duas naturezas, a divina e a terrena.

O mais impressionante em todas as decisôes de Deus, é que, nem os anjos tomaram conhecimento da real missão do Filho de Deus na terra. O mesmo se tornou um mistério para os anjos, pois não sabiam que ELE assumiria um CORPO. Corpo este, que após a sua morte e ressurreição, se tornaria a Igreja de Deus, da qual, Cristo é a cabeça. O QUE ENCONTRAMOS NA CABEÇA? O cérebro que concentra em si todos os sentidos do corpo! Assim sendo, Cristo passou a determinar o que o corpo (igreja) deve fazer para que o mesmo possa andar dentro da sua vontade e assim, terá a saúde espiritual necessária para combater todos os tipos de enfermidades que estão sobre a terra ameaçando o corpo.

Creio que conseguimos entender de forma clara o que foi escrito acima!

Então, pela Fé cremos que Jesus, o Cristo de Deus, nasceu por intermédio de uma ação divina, que, através do Espírito santo depositou no ventre de Maria o seu Filho e que a mesma, durante nove meses, ficou na expectativa pensando como seria o rosto do filho de Deus que estava crescendo dentro do seu ventre, de forma que, com os seus movimentos vitais, mexia os seus braços, suas pernas e saltava dentro de seu ventre.

Glória a Deus!

Cremos que conforme narrado nas Santas Escrituras, em Belém de Judá, chegou o tão grande e almejado dia, o dia em que deu a luz ao menino Jesus e pode contemplar o seu rosto.

Somente pela fé que nos trás algumas experiências com Deus, é que podemos crer de forma real que tudo o que está narrado acima, bem como, nas Sagradas Letras, é a mais pura verdade que serve de base para a nossa fé e nos trás a certeza de vida eterna.

Nós crentes como Maria, sentimos quando Deus nos envolveu pelo seu Espírito Santo e gerou em nossa alma o Seu Filho Jesus Cristo. Sentimos a sua presença a todo o momento, pois está sempre manifestando em nós o seu querer e quando quer festejar conosco, movimenta o seu Espírito dentro da nossa alma, e, da mesma forma que Maria sentia os seus movimentos, nós também, sentimos a sua presença alegrando e nos fazendo exultar de prazer. O nosso coração pulsa e parece que vai sair pela boca só com a sua aproximação.

Glória a Deus!

Irmãos, como é gostoso escrever sentindo a presença do Senhor Jesus! O meu coração neste momento está pulsando e as minhas lágrimas escorrendo pelo meu rosto de tanta alegria e regozijo. E, como Maria ansiava em ver o rosto do Filho de Deus, também nós, que fomos privilegiados em recebê-lo dentro de nossas almas pelo espírito Santo, vivemos a mesma expectativa que Maria viveu. Não vemos o momento de deixar de senti-lo, para vermos a sua face como ela é. Glória a Deus!

Bem! Nossa fé e certeza de que Jesus Cristo é a verdade e a vida já está bem definida dentro da nossa alma!

Agora, movido pelo menino que nasceu, cresceu, cumpriu a sua missão de Salvação, que morreu crucificado, mas ao terceiro dia ressuscitou triunfante e glorioso e que derramou sobre aqueles que creram o seu espírito santo para guiá-los em toda verdade, como tem feito em nossas vidas, escreveremos como a nossa fé deve estar firmada em sua volta para buscar a sua igreja e de que maneira isso irá acontecer.

Uma passagem bíblica que nos poderá ajudar sobre a sua volta e de que maneira isto acontecerá ao crente, é o que o apóstolo Paulo escreveu em l Aos Coríntios capítulo, 15, sobre o qual, com a guia do Espírito Santo, passarei a escrever para os amados irmãos:

Temos conhecimento que em Atenas, os gregos riram da doutrina da ressurreição pregada por Paulo, pois os filósofos normalmente procuravam ensinar que o corpo nada mais é, do que a prisão da alma. Sendo assim, a morte significava para eles a libertação da alma. E, como é do conhecimento de todos, o corpo nada mais é do que o tabernáculo do espírito. Os filósofos diziam que a morte era a libertação da alma, porém, não conseguiam explicar o que aconteceria no pós morte.Nós, graças ao nosso bom Deus e a sua revelação pelo Seu Espírito, temos a nossa esperança que por Fé, se transforma em certeza de vida eterna, como adiante veremos.aconteceria no pós morte.

Paulo explicou de forma especial e profunda a prova da ressurreição, demonstrando que conforme relatos escritos e falados, Cristo ressuscitou dos mortos de forma concreta e se tornou um fato histórico, cujo para o qual, havia muitas testemunhas vivas e que por último, apareceu também a ele quando ia a caminho de Damasco. Paulo insistiu em provar a ressurreição de Cristo através da mensagem do Evangelho e a sua própria conversão. Como Paulo disse, caso Jesus Cristo não houvesse ressuscitado, sua pregação era vã e todos continuavam em seus pecados, visto que, como alguém que está morto poderá salvar alguém? Porém, para nós crentes, a ressurreição é um fato histórico, não por ouvir falar, mas porque trazemos em nosso corpo as marcas de Cristo.

Paulo para despertar a fé dos Coríntios, escrevia para eles fazendo referência à sua pregação e que de forma gloriosa eles haviam crido e como tiveram suas vidas transformadas pela sua pregação em Cristo. Caso os mesmos continuassem acreditando em boatos lançados na igreja de que Cristo não havia ressuscitado, todos, além de continuarem em seus pecados, sua fé serviria apenas enquanto vivessem. Mediante a tal pensamento, eles não teriam nenhuma esperança após a morte. Que tristeza! Paulo procura de alguma maneira provar através das Sagradas letras a existência do primeiro Adão que trouxe a morte ao mundo e do segundo Adão que reabriu em seu corpo na cruz, o caminho para a vida eterna que havia sido fechado pelo primeiro Adão. Podemos perceber e ir além do que Paulo escreveu, mostrando dentro da doutrina bíblica que Adão ao desobedecer ao mandamento de Deus, trouxe-nos a morte e a maldição sobre a terra. O pecado, só é mencionado no capítulo 4, do livro de Gênesis, quando entendemos que o desejo, a inveja, o ciúmes, o ódio, são espíritos que não podemos vê-los, mas que, após a expulsão deles do Jardim do Éden, entraram em Caim e trouxeram com eles, o espírito de homicida. Escreverei a seguir, o que está escrito no capítulo 4, do Livro de Gênesis, a partir do verso 3:

"E aconteceu,ao  cabo de dias, que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor. E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura; e atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta. Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o seu semblante. E o Senhor disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante? Se bem fizeres, não haverá aceitação para ti? E, se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e para ti será o seu desejo, e sobre ele dominarás. 

Além de elucidar a maneira de viver dos filhos de Adão, vamos seguir um pouco adiante, demonstrando de que forma os espíritos entraram em Caim. Desde o início, ele identificou-se com a terra, mas a mesma havia sido amaldiçoada por Deus no capítulo anterior e por isso, de alguma forma, Caim se identificava com a maldição. Devemos analisar tudo dentro do contexto, para não pensarmos que todos os lavradores são amaldiçoados. Adão e sua família, com certeza, conheciam o lugar aonde deveriam adorar ao Senhor. Devemos entender que Abel levou a sua oferta pela fé, como Paulo escreveu na Epístola Aos Hebreus, capítulo 11. Para chegarmos a esta conclusão, precisamos relembrar que a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus. Sendo assim, Deus que é cheio de amor e misericórdia, mesmo tendo expulsado Adão do Jardim, deve ter falado com ele como deveria adorá-lo, o que, com certeza, passou para seus filhos e cremos que os mesmos tiveram a oportunidade de ouvir a voz do Senhor. Entendemos que sem derramamento de sangue não há remissão do pecado. Vemos isto quando na saída do Jardim, Deus sacrificou animais e usou as suas peles para vestir a Adão e sua mulher Eva. Este foi o primeiro sacrifício que nos mostra a Bíblia. Caim trouxe a sua oferta da terra amaldiçoada, demonstrando falta de fé ou crença no mandamento de Deus, visto que, para cobrir a nudez de seus pais ao ser expulsos do Éden, Deus sacrificou e derramou sangue de animais para demonstrar ao mesmo tempo em que, enquanto ELE não enviasse Seu Filho a este mundo para que, através do derramamento do seu sangue cobrisse os nossos pecados diante DELE, deveria ser toda oferta a ELE feita com sangue. Assim, fez seu irmão Abel. Por isso, o Senhor aceitou a mesma.

Não darei continuidade a este capítulo, pois o que escrevi, foi apenas para mostrar o início das coisas.

Voltando ao assunto em que Paulo procurou de todas as formas demonstrar para os Coríntios que através do sacrifício e morte do último Adão, a morte foi derrotada, pois Jesus cristo é as primícias, ou seja, ELE é o primeiro de todos os seus irmãos, da colheita divina que um dia acontecerá. Com sua autoridade apostólica, confirmou que os que morreram em Jesus Cristo irão ressuscitar na sua volta. Mostrou que Cristo quando retornar colocará debaixo de seus pés todas as coisas, inclusive, a morte. Que se eles negavam que Jesus havia ressuscitado, estavam renunciando a vida eterna e estavam perdidos. Paulo procurou provar para os Coríntios que se batizavam que, não era em nome de alguém morto. Pois como sabemos, naquele tempo, os batismos eram realizados por imersão e que representava a morte, o sepultamento e a ressurreição. Mas se não existia a ressurreição como alguém disseminou na igreja, não havia sentido que fossem batizados daquela forma. A seguir, Paulo trata de todos os perigos em que vivenciou enquanto pregava o evangelho da graça e que de nada adiantaria tudo o que fez se realmente os mortos não irão ressuscitar. Se Cristo não ressuscitou, logo, os mortos não ressuscitarão. Sendo assim, comamos e bebamos, porque amanhã morreremos. E, com a mesma autoridade, disse: Estou pela graça que me é concedida, explicando como um Pai faz com os filhos, quando os mesmos ainda não têm o conhecimento necessário da parte de Deus e ficam dando ouvidos aos falsos doutores que sem nenhum conhecimento espiritual, tentam enfiar nas mentes deles que não existe a ressurreição. Se esperarmos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.

Paulo escreve: Como ressuscitarão os mortos? E com que corpo virá?

Ele usou para fazer uma comparação, a própria natureza, para mostrar que em momento algum, a vida está separada da morte. Como também, o passado, presente e futuro, caminham juntos e em total sincronia. Quando a semente de trigo ou alguma outra é lançada na terra, ela precisa morrer para florescer e frutificar. E, quando floresce, cresce tomando a forma parecida, todos os pés, mas os grãos embora diferentes da semente serão parecidos com a original. Mostrando que os corpos que ressuscitarem da sepultura não será os mesmos que foram sepultados. Ou seja, para melhor entendimento, os que foram plantados. Porém, são semelhantes. Sabemos como Paulo escreveu que os corpos que ressuscitarem receberá um corpo celestial já glorificado. E cada um terá o seu brilho de glória. Paulo explica que é semeado um corpo físico, imperfeito, fraco e corruptível, pois pertence a terra, pois dela ele veio, e quando ressuscitado, será um corpo incorruptível, cheio de glória e poder. Corpo celestial na semelhança do que o senhor Jesus tomou. Quando Jesus ressuscitou, não foi reconhecido fisicamente por ninguém, inclusive, pelos seus discípulos. ELE é que se deu a conhecer a eles. Jesus já em seu corpo celestial manteve a sua identidade até certo ponto parecido e dando continuidade a sua ressurreição, tinha a capacidade de entrar em qualquer ambiente, mesmo estando fechado. Porém, para mostrar que era o mesmo corpo embora de forma diferente, comeu com os seus discípulos. É importante escrever também que Cristo ao vencer a morte após a sua crucificação, onde em sua carne reabriu o caminho para a vida eterna, se tornou o autor e consumador da nossa Fé. Da mesma forma que morremos NELE, pelo batismo, e, ressurgimos para uma nova vida debaixo da sua graça (favor imerecido), um dia, estando morto ou vivo, quando o Senhor Jesus retornar em nuvens de glória para buscar a sua igreja, os que estiverem vivos não precederão os que dormem, estes ressuscitarão primeiro, e, tomarão um corpo celestial e a seguir, os crentes que amaram o seu retorno, serão transformados em corpos celestiais num abrir e fechar de olhos. Seremos todos arrebatados e estaremos com o senhor por mil anos. Após esse tempo com ELE, voltaremos não mais para vivermos neste mundo, mas para participarmos com Cristo, do seu juízo final.

Glória a Deus!

Para Paulo encerrar este assunto junto aos Coríntios, ele os alerta que como cristãos eles já estão livres do aguilhão da morte. Aguilhão significa uma vara comprida, terminada com uma ponta, que às vezes, é revestida de um ponteiro de ferro que serve para fazer com que o boi seja empurrado para caminhar. Ou seja, o aguilhão usado contra nós, cristãos, é o pecado que foi vencido e aniquilado na cruz por nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Por isso, Paulo afirma: Tragada foi à morte na vitória! E depois pergunta: Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória? Fortalecendo a fé dos Coríntios, no tocante a ressurreição, Paulo demonstrou que o cristão que morre na sua graça, ficou livre do pecado e que a morte já não possui mais o seu aguilhão, a condição de estimulá-lo a caminhar para a morte e que o nosso inimigo espiritual, que é o diabo, não poderá cantar vitória, pois o inferno já foi derrotado por Cristo. 

 Glória a Deus!

Com estas palavras reveladas por Deus, os Coríntios e nós também, somos estimulados a vivermos felizes debaixo do amor, misericórdia, perdão e na graça de  Jesus Cristo. Quando um verdadeiro cristão está para ser recolhido, quem vem buscá-lo são os anjos do Senhor e a morte e o inferno ficam de longe, assistindo a VITÓRIA DO FIEL.  Por isso, devemos nos regozijar diante de Deus, que nos tem dado todo este conforto e alegria através de seu filho Jesus cristo.

Como Jesus concentrou em si a vida terrena e a Celestial, precisamos diferenciar uma da outra, para não vivermos em eterno conflito aqui na terra. Como escreveu Paulo, existe uma lei que embora espiritual, comanda os meus membros, ou seja, antes da razão de Cristo aparecer e decidir em meu espírito a decisão que devo tomar, surge o impulso que nos leva a praticar males que: quando movidos pela razão, nos dão repulsas. Assim sendo, Paulo ao entender este mistério, disse: O bem que quero fazer, não consigo, mas o mal que não quero, quando percebo, já estou fazendo (por impulso). Então, exclamou: Miserável homem sou eu! E a seguir, perguntou: Quem me livrará do corpo desta morte? Mas dou graças a Deus, que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo.

Portanto,meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na Obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.   Pois a ressurreição é verdadeira, histórica e que a nossa Fé, não é vã, caso fosse, o túmulo não estaria vazio. Mas como o túmulo está vazio, a nossa fé é real. Mas se o túmulo não estivesse vazio tudo o que até hoje pregamos como a Fé, nossa esperança e a salvação, tudo, absolutamente tudo, seria vão. Mas graças damos a Deus que nos dá e nos dará a VITÓRIA em Cristo Jesus nosso Senhor.

SE DEUS É POR NÓS, QUEM SERÁ CONTRA NÓS?

Que a Paz de Deus, o seu amor e sua misericórdia, permaneçam em nossos coraçôes!

O Velho

Indique esta página