Notícias

11/09/2017Brasil vota novamente contra Israel na Unesco e ignora laços entre judeus e Jerusalém

Vista aérea mostra Cúpula da Rocha, Monte do Templo e Muro das Lamentaçôes na Cidade Velha de Jerusalém. (Foto: Reuters/Eliana Aponte)

A Organização das Naçôes Unidos para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) aprovou nesta terça-feira (2), em uma reunião em Paris, a controversa resolução que retira a soberania de Israel sobre a cidade de Jerusalém.
 
O texto que indica que Israel não tem direitos legais ou históricos sobre Jerusalém foi aprovado por  22 países, incluindo Brasil, Rússia, China, África do Sul, Nigéria, Irã, Paquistão, Vietnã e outros países árabes. Dez países votaram contra a resolução, como Estados Unidos, Alemanha, Itália, Grã-Bretanha, Holanda, Grécia, Paraguai e Ucrânia.
 
A votação da resolução, que coincidiu com a comemoração do Dia da Independência de Israel, indica que o Estado judeu é uma “potência ocupante” em Jerusalém, alegando que a nação não tem vínculos jurídicos ou históricos sobre qualquer parte da cidade.
 
A resolução também critica o governo israelense pelos projetos de construção na Cidade Velha de Jerusalém e em locais sagrados de Hebrom, na Cisjordânia, além de pedir o fim do bloqueio de Israel em Gaza.
 
Esta versão, no entanto, foi ligeiramente menos severa do que as resoluçôes anteriores, já que o atual documento reconhece a importância da cidade para as “três religiôes monoteístas”. Além disso, a atual resolução não se refere ao Monte do Templo e ao Muro das Lamentaçôes com os nomes muçulmanos.
 
Logo após a votação, o embaixador de Israel na ONU, Danny Danon, se pronunciou sobre a resolução. “Esta decisão tendenciosa e descaradamente mentirosa, e as tentativas para disputar a ligação entre Israel e Jerusalém, não irão mudar o simples fato de que esta cidade é a capital histórica e eterna do povo judeu”.
 

Embaixador de Israel, Danny Danon, durante reunião do Conselho de Segurança das Naçôes Unidas. (Foto: ONU/Rick Bajornas)

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu também criticou duramente a resolução da Unesco. “Não há nenhum outro povo no mundo que vê Jerusalém como um lugar tão sagrado e importante como o povo judeu. Nenhuma reunião realizada na Unesco poderá tentar negar essa verdade histórica”, disse ele. “Denunciamos a Unesco e defendemos a nossa verdade, que é a verdade”.
 
No Brasil, a Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família da Câmara dos Deputados também manifestou seu repúdio em relação à postura do presidente Michel Temer.
 
“Não podemos aceitar qualquer medida que seja contrária ao povo de Israel, e ao seu legado histórico de contribuição para a humanidade, e por consequência para os cristãos”, afirmou o deputado federal Alan Rick, presidente da Frente Parlamentar.
 
“O Brasil como um país predominantemente cristão deve se manifestar no sentido de unir forças a Israel em defesa de seu legado histórico, e do respeito ao legado histórico construído pelo povo judeu, e sua imprescindível colaboração com os cristãos no mundo”, Rick acrescentou.
 
 
FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE TIMES OF ISRAEL

Indique esta página
Poderá também gostar de:
img
Estudo indica caminhos para Brasil zerar...
img
Mais de 90 cidades paulistas não têm coleta...
img
JBS é a empresa de carne que mais emite gases de...
img
Emissão de gases de efeito estufa no Brasil...
img
Brasileiro “consome” em média 5 kg de agrotóxicos...
img
“O Brasil é por Israel e ninguém pode rasgar a...
img
Brasil vota novamente contra Israel na Unesco e...
img
Mineradoras canadenses souberam de extinção de...
img
SUS disponibiliza curso grátis e online sobre...
img
Poluição mata duas vezes mais que o trânsito em...
img
Reforço militar determinado por Temer já opera...
img
Amazônia desmatada concentra 9 em cada 10 mortes...
img
Brasil lidera ranking de ativistas ambientais...
img
Estudo relaciona incidência de tuberculose com...
img
Carros a serviço do Ibama são queimados no...
img
Brasil pode não atingir objetivos sustentáveis da...
img
Professores passam a ler Bíblia para alunos, após...
img
EUA suspendem importação de carne bovina fresca...
img
Governo do Brasil tenta reduzir direitos...
img
Após inaugurarem templo evangélico, policiais do...
img
RJ registra 4 mil tiroteios por ano, diz...
img
Idosos e crianças são assassinados em área rural...
img
Em aumento o número de pessoas em situação de...
img
Pastor explica crescimento de igrejas nas...
img
Atingidos pela tragédia de Mariana acusam...
img
ONG analisa 240 pontos de rios da Mata Atlântica...
img
Doria sanciona lei antipichação e proíbe grafite...
img
Roubos e assassinatos fazem Uber rever pagamentos...
img
Roubadas, feridas e coagidas, vítimas narram caos...
img
Prefeitura proíbe material didático que promove a...
Page 1 of 5
Mais Notícias...