Notícias

16/11/2017Estudo indica caminhos para Brasil zerar desmatamento na Amazônia

Foto: iStock by Getty Images

O Grupo de Trabalho (GT) pelo Desmatamento Zero – composto pelas ONGs Greenpeace, Instituto Centro de Vida, Imaflora, Imazon, Instituto Socioambiental, IPAM, TNC e WWF – lançou nesta segunda-feira (13), na COP23, em Bonn, o relatório “Desmatamento zero na Amazônia: como e por que chegar lá”. No estudo, as organizaçôes indicam caminhos para eliminar, no curto prazo, o desmatamento na Amazônia, com benefícios ambientais, econômicos e sociais para todos.

No documento, o GT defende que não há mais justificativas para a destruição da vegetação nativa do Brasil. Continuar desmatando resulta em desequilíbrio do clima, destrói a biodiversidade e os recursos hídricos, traz prejuízos à saúde humana e, ao contrário do que muitos acreditam, compromete a competitividade da produção agropecuária. Em 2016 o desmatamento na Amazônia, sozinho, foi responsável por 26% das emissôes domésticas de gases do efeito estufa. Zerar o desmatamento, é portanto, a forma mais rápida e fácil de reduzir emissôes e cumprir com o acordo de Paris.

 

A boa notícia é que o Brasil já conhece o caminho para o desmatamento zero e sabe como chegar lá. “As medidas implementadas nos últimos anos (2005-2012) derrubaram as taxas de desmatamento na Amazônia em cerca de 70% e indicam que os elementos necessários para atingir o desmatamento zero se encontram presentes”, destaca a publicação.

“O Brasil já sabe o caminho para chegar ao desmatamento zero, mas tem seguido na direção oposta. Temer e o Congresso vêm discutindo e aprovando medidas que incentivam ainda mais desmatamento, grilagem e violência no campo. Caso açôes não sejam tomadas urgentemente, o cenário é de permanência de altas taxas de desmatamento na Amazônia”, comenta Cristiane Mazzetti, especialista em Amazônia do Greenpeace Brasil. “O caminho existe, mas é preciso que governos e empresas se comprometam seriamente em  transformar as açôes propostas no documento em realidade, eliminando qualquer forma de desmatamento no curto prazo”, complementa.  

 

“Milhares de pessoas morrem ou adoecem por ano por causa da fumaça das queimadas associadas ao desmatamento. Já sabemos o que fazer para zerar o desmatamento e salvar estas vidas e evitar as doenças. Agora é preciso coragem para agir”, Paulo Barreto, pesquisador sênior do Imazon.

“O fim do desmatamento na Amazônia e a conservação florestal representam atualmente o melhor investimento que a agricultura pode fazer a favor de sua produtividade futura. Florestas são grandes sistemas de irrigação da lavoura. Não é só produzir sem desmatar, mas sim produzir mais e melhor, conservando as florestas da região”, Paulo Moutinho, pesquisador sênio do IPAM.  

A trilha para o desmatamento zero, de acordo com as organizaçôes, envolve diversos setores e passa, necessariamente, por quatro eixos de atuação:

– implementação de políticas públicas ambientais efetivas e perenes;

– apoio a usos sustentáveis da floresta e melhores práticas agropecuárias;

– restrição drástica do mercado para produtos associados a novos desmatamentos;

– engajamento de eleitores, consumidores e investidores nos esforços de zerar o desmatamento.

Para o GT, mudanças no sistema de produção agropecuária, combate à grilagem de terras públicas, atuação do mercado e estímulo à economia florestal estão entre as açôes mais urgentes para zerar o desmatamento.

O relatório reforça, ainda, a importância da mobilização da sociedade contra as tentativas recentes de enfraquecer a proteção florestal, como a flexibilização do licenciamento ambiental, a redução da proteção de Unidades de Conservação, a paralisação dos processos de demarcação de Terras Indígenas e a anistia de grilagem de terras públicas – gerando um lucro de R$ 19 bilhôes para grileiros.  

Confira aqui o relatório completo.

fonte:ciclovivo

Indique esta página
Poderá também gostar de:
img
Senado aprova medida provisória que incentiva...
img
Brasil tem ano com o maior número de queimadas da...
img
Apoio a agricultores familiares é fundamental na...
img
Brasil libera até 5 mil vezes mais agrotóxicos do...
img
Estudo indica caminhos para Brasil zerar...
img
Mais de 90 cidades paulistas não têm coleta...
img
JBS é a empresa de carne que mais emite gases de...
img
Emissão de gases de efeito estufa no Brasil...
img
Brasileiro “consome” em média 5 kg de agrotóxicos...
img
“O Brasil é por Israel e ninguém pode rasgar a...
img
Brasil vota novamente contra Israel na Unesco e...
img
Mineradoras canadenses souberam de extinção de...
img
SUS disponibiliza curso grátis e online sobre...
img
Poluição mata duas vezes mais que o trânsito em...
img
Reforço militar determinado por Temer já opera...
img
Amazônia desmatada concentra 9 em cada 10 mortes...
img
Brasil lidera ranking de ativistas ambientais...
img
Estudo relaciona incidência de tuberculose com...
img
Carros a serviço do Ibama são queimados no...
img
Brasil pode não atingir objetivos sustentáveis da...
img
Professores passam a ler Bíblia para alunos, após...
img
EUA suspendem importação de carne bovina fresca...
img
Governo do Brasil tenta reduzir direitos...
img
Após inaugurarem templo evangélico, policiais do...
img
RJ registra 4 mil tiroteios por ano, diz...
img
Idosos e crianças são assassinados em área rural...
img
Em aumento o número de pessoas em situação de...
img
Pastor explica crescimento de igrejas nas...
img
Atingidos pela tragédia de Mariana acusam...
img
ONG analisa 240 pontos de rios da Mata Atlântica...
Page 1 of 5
Mais Notícias...