Brasil

17/01/2019Líderes evangélicos divergem sobre posse de armas de fogo no Brasil

Presidente da República, Jair Bolsonaro, assina decreto para posse de armas no Palácio do Planalto. (Foto: Alan Santos/Divulgação/PR)

Em cumprimento à promessa feita durante a campanha eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro assinou, nesta terça-feira (15), decreto que autoriza a posse de armas em residências, estabelecimentos comerciais e propriedades rurais.
 
Matéria publicada pelo jornal O Globo mostra que lideranças evangélicas brasileiras, que apoiaram o presidente durante a campanha eleitoral, não estão totalmente de acordo com a decisão.
 
Líder da Igreja Sara Nossa Terra, o bispo Robson Rodovalho se diz a favor da posse de armas em áreas rurais. Ele justifica a ausência de segurança nessas localidades.
 
Rodovalho, no entanto, diz temer conflitos em locais públicos caso seja autorizado o porte (a possibilidade de as pessoas andarem armadas). “Não queremos bang-bang”, explicou o presidente da Sara Nossa terra.
 
Silas Malafaia, líder da Igreja Vitória em Cristo, manifestou-se contrário à ideia, mas reconhece que há apoio entre fiéis: “Eu pessoalmente sou contra armas e qualquer tipo de armamento”.
 
Presidente da Assembleia de Deus de Madureira, o bispo Samuel Ferreira foi um dos líderes que manifestaram essa preocupação com relação a armas desde a campanha eleitoral, segundo pessoas próximas.
 
O deputado Sóstenes Cavalcante, do Rio de Janeiro, que compôe a bancada evangélica da Câmara, reconhece que a questão do porte e da posse de armas é sensível entre os evangélicos. “Uma coisa é a posse dentro da casa, outra coisa é o porte”, explica.
 
“A maioria dos evangélicos não quer ter armas. Defendemos a vida. A gente sabe que isso vai provocar mortes em discussôes de trânsito, em bar, assim como uma maior incidência de casos de violência como ocorrem nos Estados Unidos”, afirma o deputado, em referência a episódios em que atiradores fazem vítimas.
 
Também pastor, Sóstenes diz que “a nossa defesa é Deus e, depois, estão as instituiçôes terrenais de segurança pública”.
 
Apoios ao porte
 
Presidente da Convenção da Assembleia de Deus no Brasil (CADB) e líder da Igreja-Mãe, em Belém do Pará, Samuel Câmara, admite a possibilidade do porte: “O estado precisa se mostrar eficiente no combate aos bandidos. Caso contrário, o homem de bem terá que se habilitar ao porte para legítima defesa”, justificou.
 
Outra opinião favorável é a do o deputado Marcos Rogério, de Rondônia. Integrante da bancada evangélica, o parlamentar acredita que a autorização para porte e posse de arma pode contribuir para a melhora da sensação de segurança.
 
“Hoje você proíbe as pessoas de bem de terem armas, mas o bandido está armado. É claro que é preciso de critérios claros e justificáveis para conceder a licença”, opinou o deputado que é membro da Assembleia de Deus.  
 
Justificativas para a posse
 
O presidente Jair Bolsonaro justificou a assinatura do decreto dizendo, durante cerimônia no Palácio do Planalto, que “o povo decidiu por comprar armas e muniçôes, e nós não podemos negar”, referindo-se ao referendo sobre a liberação das armas que houve em 2018. Na época, os eleitores disseram-se a favor da posse.
 
 
Em pesquisa do Datafolha realizada no final do ano passado, seis em cada 10 brasileiros (totalizando 61%) consideraram que a posse de arma de fogo deve ser proibida por representar ameaça à vida de outras pessoas.
 
Regras
 
O decreto traz as regras que devem ser seguidas em todo o país. Entre elas está o limite de compras para até quatro armas por pessoa. Mas em seu discurso, o presidente disse que esse número pode ser maior caso o interessado tenha mais propriedades e comprove a necessidade de obter um número maior.
 
O decreto também muda o registro de armas, que de 5 anos vai para 10 anos e cria pré-requisitos objetivos que precisam ser apresentados a um delegado da Polícia Federal para autorização da posse.
 
O decreto alcança moradores de cidades violentas, de áreas rurais, servidores públicos que exercem funçôes com poder de polícia e proprietários de estabelecimentos comerciais. Também serão beneficiadas pessoas que atualmente estão em situação de irregularidade, como prazo expirado para o registro. 
 
A renovação do registro de posse poderá ser feita automaticamente por dez anos. Isso para as pessoas que estão em situação regular, mas que haviam obtido a validade pela legislação anterior, que previa prazo de cinco anos.
 
Há ainda a exigência de que pessoas que tenham crianças, adolescentes ou pessoas com deficiência mental em casa apresentem uma declaração de que a residência possui cofre ou local seguro com tranca para armazenamento. 
 
COM INFORMAÇÕES DA FOLHA DE S. PAULO E DO GLOBO

Indique esta página
Poderá também gostar de:
img
Justiça determina que Doria devolva apostilas...
img
“Temos uma bandeira e meia: Brasil e Israel”, diz...
img
Evangélica clama a Deus e escapa de estupro em...
img
Grupo terrorista no Brasil revela plano para...
img
“Não sei se sou terrivelmente evangélico, mas sou...
img
“Se o STF é igualitário, por que não ter ministro...
img
Em culto, Bolsonaro diz que vai indicar ministro...
img
Governo Bolsonaro denuncia perseguição contra...
img
Evangélicos voltam a cobrar Itamaraty sobre...
img
Bolsonaro cogita um ministro do STF ‘evangélico’...
img
Tá na hora de...
img
Fábio Porchat diz que 'é maluquice acreditar na...
img
STF retoma julgamento sobre criminalização da...
img
Evangélicos montam acampamento em ponte e evitam...
img
Decisão do STF impede psicólogos de atenderem...
img
Confederação Israelita do Brasil irá processar...
img
Israel doa ao Brasil máquinas que produzem água...
img
Líderes evangélicos divergem sobre posse de armas...
img
Governo de Bolsonaro pode restringir venda de...
img
Witzel quer firmar acordo com Israel para treinar...
img
Brasil dá apoio histórico a Israel na ONU, sob...
img
Igrejas são convidadas a influenciar sociedade no...
img
Bolsonaro diz que ministro da Educação atende a...
img
“Quando autoridades honestas governam, o povo se...
img
“A gente fará aliança até com o Diabo” , diz...
img
Paulo Guedes não pretende taxar igrejas...
img
Bolsonaro sinaliza mudanças na Educação com apoio...
img
Exposição de arte no Rio sugere que militantes...
img
“Dialeto secreto de gays e travestis” é abordado...
img
Professora é afastada após ensinar crianças com...
Page 1 of 8
Mais Notícias...